Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Isto É Peanurs

7 anglicismos desnecessários no nosso dia-a-dia

Não, não me estou a referir a palavras como “hambúrguer”, “password” ou “stop”. Neste caso as palavras foram adotadas pela nossa língua e faz todo o sentido usá-las. Venho falar-vos da quantidade absurda de palavras inglesas que hoje em dia se usam para tudo como se a língua portuguesa não fosse suficientemente rica.

 

vfvbdfbdfbdf.png

 


1. Top


Quem é que não conhece alguém cujo único adjetivo que conhece é “top”? “Top” é um substantivo masculino que tem um de dois significados: posição ou lugar cimeiro numa classificação ou peça de vestuário feminino, geralmente sem mangas, que cobre o tronco. E quem o diz nem sou eu, é o Priberam. Aconselho as pessoas que usam substantivos como se de um adjetivo se tratasse a passar por lá. Um site incrível para quem tem poucos recursos linguísticos. Seguem um conjunto de adjetivos perfeitamente adequados para substituírem a palavra “top”: bom, fantástico, fenomenal, incrível, impressionante, excelente, extraordinário, estupendo, excecional. Se acharem que são palavras demasiados “caras”, fiquem-se pelo fixe.

 

2. Running


Hoje em dia já ninguém corre apesar de correr estar cada vez mais na moda. Ninguém corre porque toda a gente pratica running. Atenção, ninguém run, mas toda a gente pratica running, ou seja, ninguém corre, mas toda a gente pratica corridas. Confuso, não é? Ainda bem que temos o inglês.

 

3. Rooftop


A minha avó tem um terraço para onde eu e os meus primos adorávamos ir quando éramos pequenos. Agora vou reformular a frase para os tempos atuais: A minha avó tem um rooftop para onde eu e os meus primos adorávamos ir quando éramos pequenos. É uma pena a vista ser obstruída pela casa num dos lados, caso contrário abria um rooftop 360º (porque se for 180º já não é tão bom), servia uns gins tónicos e ainda fazia bom dinheiro. Qualquer dia eu deixo de ter uma varanda em casa e passo a ter um balcony. De 180º.

 

4. Bulling

 


Lembro-me de andar na escola e andarmos constantemente todos aos pontapés uns aos outros. Porquê? Éramos parvos. Não encontro outra explicação para este facto. Mas ninguém sofria de bulling. Ninguém. Chamávamos-lhe “levar porrada”, mas bulling soa muito melhor.

 

5. Sunset


Houve uma altura em que as pessoas apreciavam o pôr-do-sol e, veja-se bem, organizavam festas nestas horas. Atualmente, não só não se aprecia o pôr-do-sol como também não se organizam festas. O que está a dar são parties na hora do sunset ou, ainda melhor, na sunset hour.

 

6. Selfie

 

No meu tempo tirava perfeitamente fotografias a mim mesma, mas chamavam-se fotografias como qualquer outra. Há 3 diferenças fundamentais entre uma fotografia e uma selfie:

1. A selfie implica o uso de um telemóvel com câmara frontal; na fotografia usava-se uma máquina fotográfica com a câmara virada para nós.

2. Nunca se tira apenas uma selfie. Tiram-se até todas as pessoas ficarem bem para depois se publicar no instagram e facebook; só se tira uma fotografia, se ficar mal, paciência.

3. Há 3500 filtros para se aplicarem às selfies; as fotografias com sorte eram editadas no paint.

 

7. Lifestyle


Lifestyle é traduzido como estilo de vida mas tem imensas interpretações diferentes. Por exemplo, nas secções de jornal com este nome refere-se a “coisas sem a mínima importância que ocupam cada vez mais espaço num jornal que devia trazer notícias". No mundo dos blogues pode querer dizer tudo e mais alguma coisa. Parece-me que esta é a palavra que requer mais estudo.

2 comentários

Comentar post